CRVR
CRVR

Nossos projetos

  • Lei Rouanet
  • Em sua unidade de Santa Maria, a triagem de resíduos é feita por antigos catadores de lixo que, por meio do incentivo da CRVR, passaram a trabalhar no local, com benefícios como planos de saúde e vale-alimentação.
  • Mediante um planejamento integrado com os municípios onde a empresa presta serviços, a CRVR colabora com a educação ambiental, por meio de palestras e de materiais impressos.
  • A CRVR implantou de forma pioneira no sul do país, um novo sistema de captura e oxidação térmica do biogás gerado em seu aterro localizado em Minas do Leão. A empresa recebeu a aprovação da Organização das Nações Unidas (ONU) para a execução do projeto, o que a autorizou a operar no âmbito do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) do Protocolo de Kyoto.
    Com o novo sistema, a empresa chega a destruir até 98% do gás metano presente na composição do biogás gerado em seu aterro sanitário, correspondente a uma redução anual de 400 mil toneladas de CO2. Os efeitos da queima do biogás contribuem para a redução da emissão de gases do efeito estufa e a preservação do meio ambiente. A CRVR inaugurou no ano de 2015  uma unidade de geração de energia, tendo como combustível o aproveitamento do biogás obtido da decomposição dos rejeitos depositados. A unidade geradora tem uma potência de 8,5 MWh, podendo atender uma população de aproximadamente 100 mil habitantes.
  • Em parceria com a Companhia de Gás do Estado (Sulgás) e o Departamento Municipal de Limpeza Urbana de Porto Alegre (DMLU), a empresa firmou um termo de cooperação para desenvolver um projeto-piloto inédito no Rio Grande do Sul. Por meio dessa iniciativa foi implantado um sistema de purificação de biogás junto ao aterro sanitário de Minas do Leão, a partir do qual se atingiu uma composição química semelhante a do gás natural. O projeto demonstrou a viabilidade de instalar um sistema de compressão e abastecimento para a utilização desse produto em veículos automotores.
  • Atua em linha com o Instituto Solví na análise de risco social como escopo do planejamento de novos negócios; no desenvolvimento de políticas, procedimentos e práticas com foco no público interno; no desenvolvimento de programas voltados para as comunidades onde atua; na execução e avaliação das ações de responsabilidade socioambiental.